A liberdade contida na obediência

Oi, amorexx ❤ Tudo bem?

Um dia desses estava lendo em algum lugar sobre a liberdade em Cristo e logo quis falar com vocês desse assunto também. Para mim, todos os livros do Novo Testamento são meus preferidos, pois relatam desde o nascimento de Jesus, passando pela sua morte e ressurreição, e também pela continuidade da propagação do Evangelho através dos seus discípulos (a quem também podemos pegar como exemplo), até as coisas futuras que ainda tem que acontecer. Mas os livros escritos por Paulo são uma referência ainda maior para mim, a começar pelo seu exemplo de vida (que de perseguidor passou a ser perseguido) e por ser guiado pelo Espírito Santo de Deus para escrever pelo menos 13 cartas, direcionadas às igrejas e aos seus irmãos na fé.

E como eu estava dizendo, por esses dias li o capítulo 5 de uma dessas cartas, a enviada aos Gálatas. Nesse capítulo, Paulo orienta aos cristãos de um grupo de igrejas na Galácia – uma região da Ásia Menor – sobre a liberdade que eles tem por meio de Jesus. E eu queria dividir isso com outras pessoas, pois é totalmente diferente da liberdade – ou da falta dela – que muitos pregam por aí. Uns dizem que os cristão não tem liberdade por não poder fazer isso ou aquilo, outros acham que podem tudo, pois escolheram “viver intensamente”. Sabemos – ou deveríamos saber – que o excesso que qualquer coisa, por mais que pareça boa, não é de fato bom. Então, como seria essa liberdade?

 

Leia também:
O poder de acreditar que coisas boas vão acontecer
Ansiedade: o mal do século

 

Toda a Palavra de Deus (Bíblia) é movida pelo amor. Foi por amor que Ele nos criou a Sua imagem e semelhança, foi por amor que Ele deu Seu Filho como sacrifício para nos livrar da morte eterna e é por amor que Ele se mostra presente – através do Espírito Santo – para cuidar de nós, mesmo ainda sendo pecadores. Esses são apenas alguns exemplos do amor incondicional de Deus, sendo a morte de Jesus na cruz o maior exemplo desse amor. E por causa desse sacrifício, nos tornamos livres do pecado, de forma que, após purificados por esse sangue inocente, podemos estar mais perto de Deus (João 14.6). Essa prova do amor genuíno do Pai nos trouxe a liberdade de podermos escolher a que caminho queremos seguir.

Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.”

Gálatas 5.1 (NVI)

Agora que fique a reflexão: o sangue vertido na cruz está sendo valorizado por você? Não deixe que o mundo lhe mostre como você pode ser “livre”, pois esse tipo de liberdade nos torna escravos do pecado, e o pecado conduz à morte. E não é uma morte comum, estou falando da morte eterna (Apocalipse 20.11-15). Como você pretende passar a eternidade?

Não sabem que, quando vocês se oferecem a alguém para lhe obedecer como escravos, tornam-se escravos daquele a quem obedecem: escravos do pecado que leva à morte, ou da obediência que leva à justiça?”

Romanos 6.16 (NVI)

Muitas vezes podemos até pensar que a liberdade não nos torna escravos, mas a verdade é que se somos livres para fazermos tudo, não temos autoridade para não deixarmos que as coisas exerçam domínio sobre nós. Logo, nos tornamos escravos daquilo que não temos controle. Portanto, se for para escolhermos entre a vida ou a morte eterna, que façamos a escolha certa, pois tudo é lícito, mas nem tudo convém (1 Coríntios 6.12).

Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados em sua morte? Portanto fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.”

Romanos 6.3-4 (NVI)

A vida nova que esse versículo menciona, é uma vida purificada, livre da escravidão do pecado, uma vida dedicada a Deus. Não importa o que cada um de nós tenhamos feito antes, a partir do momento que decidimos abrir os nossos corações e deixar Jesus entrar, todo o passado é perdoado. Logo, devemos abandonar o que fazíamos antes para dar lugar a um novo modo de vida, procurando sempre seguir o exemplo da vida de Jesus.

Amados, insisto em que, como estrangeiros e peregrinos neste mundo, vocês se abstenham dos desejos carnais que guerreiam contra a alma. (…) Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus.”

1 Pedro 2.11; 2.16 (NVI)

A servidão que devemos a Deus é pelo favor que Ele nos concedeu de morarmos um dia no Céu de Glória, pois a morte de Cristo nos trouxe salvação (Isaías 53.5). Mesmo não sendo merecedores, a misericórdia de Deus nos alcança e nos torna pessoas melhores. Temos que ser obedientes a Deus, esse é o único sacrifício que Ele nos pede. Que não façamos a vontade da nossa carne, e sim a do Espírito, que nos leva a uma vida de boa conduta. Pois ser realmente livre não significa nunca estar sujeito às leis naturais e morais cabíveis a todo ser humano. Uma pessoa pode exercer a liberdade sobre todas as coisas, desde que isso ocorra em comunhão com Cristo.

Por isso digo: Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja tudo que é contrário ao Espírito; o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. (…) Ora as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdias, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificam a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.”

Gálatas 5.16-17; 5.19-25 (NVI)

Que esse poder que a liberdade nos dá não seja usado de forma que nos afaste da presença de Deus. Pelo contrário, que cada dia nos aproxime Dele. O que é a obediência a algumas atitudes diante do sacrifício de Jesus? Nada! Principalmente sabendo que estamos nesse mundo de passagem, nossa estadia permanente dependerá da valorização desse sacrifício ou não. Nós só devemos ser escravos de nós mesmos, para que não sejamos tentados e nos voltemos para o pecado. Estar sempre atento a nossas atitudes para sermos cada dia mais parecidos com Jesus.

 

Que essa mensagem possa alcançar a quem precisa e que vocês a guarde em seus corações. Busquem sempre fortalecimento com Aquele que não dorme, só para lhe conceder tudo que precisar. Que Deus abençoe a vida de cada um que leu até aqui, e fiquem de olho até o próximo Papo Sério. Um grande beijo e fiquem na paz do Senhor 😘

 

Com amor,
Liz ❤

 

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Instagram • Facebook  Google+ Pinterest

Anúncios

2 comentários sobre “A liberdade contida na obediência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s